WhatsApp Subir

Blog

5 passos para economizar energia elétrica no condomínio

12/08/2021 às 14h52

Atitudes que refletem em melhorias para o meio ambiente e para os condôminos. Com o aumento excessivo da energia, síndicos e administradoras buscam alternativas para conter os gastos. E existem caminhos que podem aliviar o preço da conta no fim do mês. 

Leia o texto de hoje para descobrir quais são as possibilidades de redução do consumo de energia elétrica no condomínio. Confira!

 

Como economizar energia elétrica no condomínio?

 

Economizar energia elétrica no condomínio passa por duas ações: a conscientização dos moradores e mudanças na parte elétrica das áreas comuns para inibir o desperdício, aliviando, assim, os gastos do prédio com a implantação de práticas sustentáveis.

Confira 5 passos que vão ajudar a diminuir a conta de energia elétrica!

 

1. Orientar os moradores

A primeira grande mudança começa pela conscientização dos moradores. E, para isso, é papel fundamental do síndico despertar o interesse pela causa. No entanto, uma mudança de hábito não acontece do dia pra noite.

Como solução, é importante colocar o assunto nas pautas das reuniões, apresentar os números e investir na divulgação de cartazes em meios físicos e digitais.

 

2. Optar por sensores de presença

Além de orientar os moradores, é importante agir e fazer mudanças. A primeira delas é a substituição dos interruptores das lâmpadas por sensores de presença. Dessa forma, evita-se o gasto desnecessário de energia elétrica.

Afinal, em ambientes com maior incidência de luz natural, não há necessidade de luz acesa e os sensores de presença cumprem o papel de controle do acionamento. 

 

3. Trocar lâmpadas fluorescentes

Reduzir o número de lâmpadas fluorescentes, aquelas que precisam de reator para funcionar, é essencial para a economia de energia. A substituição indicada é por lâmpadas LED, pois elas produzem a mesma quantidade de luméns (fluxo luminoso), gastando menos energia.

E, se em uma residência essa simples mudança já faz a diferença, imagina nos prédios!

 

4. Instalar placas de energia solar

Alguns condomínios já utilizam a energia solar como uma alternativa. A fonte de energia elétrica natural pode abastecer parte das áreas comuns. Espaços de lazer, como piscina e sala de games, podem ser algumas das áreas escolhidas.

Apesar de não ser um investimento barato, a compra de placas solares pode gerar economia financeira no longo prazo.

 

5. Fazer manutenção nos elevadores

O consumo de energia elétrica dos elevadores está entre 3% a 10% do gasto total dos edifícios residenciais. E a falta de manutenção preventiva e corretiva deles pode aumentar o consumo de energia elétrica do condomínio.

Importante ressaltar que a manutenção deve estar presente em toda a parte elétrica do condomínio. Nas fiações antigas, por exemplo, pode existir fuga de corrente.

 

O caminho para economizar energia elétrica no condomínio é um só e passa por duas palavras: conscientização e mudanças. Por um lado, a mudança de hábitos dos moradores. Por outro, a substituição e manutenção periódica dos equipamentos elétricos. Agora, é hora de colocar em prática e colher a economia dos resultados.

Cuidados com o seu apartamento também são importantes. Descubra o porquê de fazer manutenção preventiva com regularidade.

Siga-nos no Instagram!